Atualmente, o vídeo tem sido o formato mais usado pelas empresas para divulgar seus produtos; compartilhar conteúdos. E, principalmente, interagir com seus consumidores. E, apesar de ser totalmente possível produzir vídeos amadores de alta qualidade, contar com um profissional como o videomaker pode ser muito mais benéfico.

A forma como as pessoas consomem conteúdo se modificou ao longo dos anos. E a popularização dos vídeos, juntamente com o surgimento de plataformas que facilitam a sua distribuição, só contribuiu para isso.

Esse fenômeno reflete diretamente na maneira como o criador de videos trabalha. Já que ele precisa estar sempre atento às novas linguagens, estilos e todo o tipo de novidade que cerca o campo audiovisual para se manter ativo no mercado.

O trabalho desse profissional faz parte de todas as etapas do processo de criação de um vídeo, e não somente das filmagens, como veremos a seguir:

Pré-produção

pré-produção tem como finalidade o planejamento de todo o projeto. É aqui que toda a equipe, ligadamente com o videomaker, decidirá quais serão as melhores abordagens para que tudo corra como planejado.

Abaixo, todas as atividades que um videomaker realiza durante o processo de pré-produção:

Participa das reuniões de brainstorming

brainstorming é a reunião em que a equipe une para explorar as mais variadas ideias acerca do vídeo.

É onde todos dão sugestões, baseadas em suas pesquisas, para começar a elaborar a produção.

Ajuda a elaborar o briefing

Logo após o brainstorm, vem a etapa de construção do briefing.

Aqui, o vídeomaker e a equipe se juntam para trocar informações e montar a estrutura de desenvolvimento da produção do vídeo.

Esse também é o momento em que as funções de cada pessoa no set serão determinadas.

Escolha de equipamentos necessários em cena

É do criador de vídeos boa parte da responsabilidade de definir quais serão os equipamentos e itens de cenário utilizados em cena.

Após suas escolhas, o videomaker deve passar sua lista para que o financeiro cuide das compras e aluguéis necessários.

Cria o roteiro

A criação do roteiro é uma das tarefas mais importantes da pré-produção.

É nele que estarão todas as orientações para que os processos de produção ocorram sem problemas.

É crucial que o roteiro seja bem estruturado para o sucesso do filme.

Produção

A produção é a parte prática de se criar um vídeo.

O videomaker cuidará para que tudo ocorra e acordo com o roteiro, além de organizar todo o set para a filmagem, desde posicionamento de câmeras até a iluminação.

Entenda melhor como funciona esse processo:

Filmagem

O papel do videomaker aqui é se certificar de que todos os detalhes para a gravação estão em ordem.

Ele garantirá que as falas, movimentos de câmera, marcações e outros aspectos essenciais para a filmagem saiam como planejado.

E, claro, sempre seguindo o roteiro.

Direção de cenas

Apesar de ser responsável pela direção das cenas, o videomaker não trabalha sozinho, portanto, toda a equipe presente no set de gravação o auxiliará com isso.

A razão disso é que, por mais competente que seja o profissional, possíveis erros e outros detalhes poderão passar despercebidos.

Assim, o restante da equipe, que também estará prestando atenção em tudo, conseguirá identificar a falha e ajudará o criador de vídeos a manter a qualidade.

E nesses momentos, ele decidirá se a melhor abordagem é repetir ou não a cena, assim como modificar outros detalhes do cenário.

Tudo para que o vídeo seja bem-sucedido.

Pós-produção

Dificilmente um vídeo fica pronto sem a necessidade de nenhuma edição. É por essa razão que existe a pós-produção;  ela dará sentido a tudo o que foi realizado na etapa de produção.

Nessa hora, o videomaker finalizará o projeto, se certificando que tudo está alinhado com o que foi planejado e com objetivo do filme.

Dentre as suas funções neste estágio de produção, estão:

Desmontagem do cenário

Logo depois de finalizadas as gravações e antes de iniciar a pós-produção, o criador de vídeos arrumará todo o set — juntamente com sua equipe — de filmagem.

Isso inclui guardar adequadamente os materiais utilizados, com câmeras, refletores, microfones e outros itens.

Edição e montagem do vídeo

A edição e montagem é o momento em que o videomaker juntará tudo o que foi feito durante as gravações em um arquivo único, de forma concisa e harmoniosa.

Os demais responsáveis pela execução técnica das filmagens também fazem parte dessa etapa.

E para que produto final seja coerente com tudo o que foi pensado e gravado, o criador de vídeos sempre terá em mãos o roteiro. Dessa forma, ele evitará que falhas ocorram durante a pós-produção e prejudiquem o projeto.

Exportação do conteúdo

Por fim, depois de todo o processo de pós-produção realizado, o filme está finalmente pronto para ser compartilhado para o público.

Entretanto, antes de divulgar o trabalho pronto, o produtor de vídeo precisa dar uma última conferida se tudo está, de fato em ordem.

Ainda com o roteiro em mão, ele analisa o filme, assistindo o vídeo algumas vezes até ter certeza de que nada saiu errado.

E para garantir ainda mais que tudo correu como esperado, outras pessoas da equipe também assistirem o filme pronto.

Assim, eles se certificam de que nada passou despercebido. Estando tudo dentro do planejado, o vídeo é exportado e divulgado.

Que tipo de softwares um videomaker precisa saber usar?

Da mesma forma que todas as outras profissões de criação, o criador de vídeos também precisa ter noções de diferentes formas de realizar seu trabalho. Ter diversas referências e, sobretudo, bons conhecimentos na parte técnica do seu campo de atuação.

A edição e montagem, que já foi citada anteriormente, assim como a captação de imagens, manuseio dos equipamentos, tratamento de áudio e outras etapas inerentes à produção audiovisual precisam estar dentro dos conhecimentos desse profissional.

A fim de executar cada uma dessa etapas com eficiência e de maneira correta, é preciso que ele saiba utilizar alguns programas:

  • Para tratar imagens, os mais utilizados são o Lightroom e o Photoshop;
  • Já para editar os vídeos, o Adobe Premiere, Final Cut e o Sony Vegas são os favoritos;
  • E caso seja preciso inserir motion designs no projeto, os melhores programas para isso são o Illustrator e o After Effects.

Em algumas situações, é exigido do profissional uma formação acadêmica para que ele aprenda a trabalhar com esses softwares. Contudo, é bem possível aprender a utilizá-los de forma autônoma.